| RESENHA | A Canção das Águas (Sarah Tolcser)

30 de julho de 2018

Oi pessoas, tudo bem com vocês?

Andei sumida daqui, não é, mas espero que agora tenha tudo acalmado na minha rotina e eu volte interagir mais com vocês sobre o nosso querido universo literário. Apesar de distante do blog, eu continuei com as minhas leituras, mas não consegui acompanhar outros blogs, infelizmente, por isso estou retomando tudo aos poucos e, para o retorno, trouxe um post bacana aqui para o EL.

Então, sem mais postergações, vem conferir a resenha de "A Canção das Águas"?


A Canção das Águas | A Canção das Águas #1

Sinopse: Caroline Oresteia está prometida ao rio. Por gerações, sua família ouviu o chamado do deus do rio, que guiou suas embarcações em incontáveis viagens pelas terras fluviais. Aos dezessete anos, Caroline está preparada para conhecer seu destino, após anos ouvindo a voz das águas. Mas o deus do rio ainda não falou o seu nome – e se ele não o fez até agora, existe uma chance de que nunca o fará. Ela decide tomar as rédeas de seu próprio destino quando seu pai é preso por se recusar a transportar um caixote misterioso. Ao concordar em fazer a entrega em troca de sua liberdade, Caroline é pega em uma rede de políticas e mentiras, sem a ajuda do deus do rio e com perigosos piratas atrás da carga. Com tanta coisa em jogo, ela precisa escolher entre a vida que sempre quis e a que nunca imaginou para si.

Sarah Tolcser | Fantasia | Jovem Adulto | 432 páginas | 2018 | Editora Plataforma21



Uma aventura eletrizante, "A Canção das Águas" é um livro repleto de mistérios e reviravoltas, e a trama que envolve essa história conta com barqueiros e piratas, figuras misteriosas, deuses e magia.

Caroline é a protagonista dessa história, uma adolescente destemida e aventureira, criada por seu pai no convés da Cormorant, o barco da família. A cada dia que passa Carô se vê mais e mais ansiosa pelo chamado do deus do rio, aquele que favorece os capitães da família Oresteia a muitos anos, mas a frustração e a insegurança começam a lhe permear os pensamentos quando esse chamado não acontece e ela se vê envolvida em uma aventura perigosa na qual se viu metida depois de assumir um compromisso que se pai havia negado. Agora, Carô precisa transportar uma carga importante, mas misteriosa, e levá-la a salvo ao seu destino sem a ajuda de seu pai e amparo do deus do rio. E ao longo desse trajeto, Carô vai descobrir que essa viagem pode ser muito mais perigosa que imaginava, reveladora e surpreendente na mesma medida.

A história é narrada em primeira pessoa por Carô, tem um início um pouco lento e confuso devido a necessidade de ambientação da história que se passa, em grande parte, a bordo de barcos e navios, além do ambiente às margens dos rios, e isso tornou a parte introdutória um pouco maçante, mas logo a aventura começou a se desenrolar e deixou para trás aquela atmosfera mais tediosa.

É difícil falar dos personagens sem soltar algum spoiler, por isso não vou falar especificamente sobre cada um deles, mas de uma forma geral. Eu gostaria que a autora tivesse desenvolvido um pouco mais os personagens, apesar de Carô ser bem transparente pelo fato de narrar a história, é mais fácil se conectar com ela, compreender seus anseios e desejos, mas alguns outros personagens poderiam ter sido um pouco mais explorados. Os personagens secundários, da mesma forma, mereciam um pouco mais de atenção, pois muitos deles são indispensáveis ao desenvolvimento da história.

A história é emocionante, uma aventura com muito perigo, piratas perversos e mercenários, jogo político ardiloso como pano de fundo da história e muita magia para completar mais ainda esse arranjo repleto de elementos contrastantes que se fundiram muito bem.

Gostei muito que a autora tratou de forma sutil as mortes que aconteceram ao longo da história, as quais seriam inevitáveis em se tratando de uma aventura repleta de piratas. Além disso, as situações de maior perigo, brigas, mutilações e, até mesmo, algumas cenas mais adultas foram trazidas de forma tão leve e discreta que poderiam ser consideradas insignificantes para alguns leitores. Eu achei ótima essa forma de abordagem dessas situações e manteve o gênero aventura/fantasia em total ênfase.


















A história é bem construída, mas não tem toda a trama "amarradinha" e deixou algumas perguntas sem respostas. Espero que essa característica se deva ao fato de ser o primeiro livro aguardando uma continuação ainda não publicada no Brasil. 

Gostei e me surpreendi com a história, pois não pensei que viveria a aventura junto com Carô e o fato da narrativa ser em primeira pessoa me envolveu ainda mais, parecia que eu estava à bordo dos barcos e navios junto dos personagens. Lamentei que o final foi muito rápido, tudo aconteceu em uma velocidade elevada em comparação ao restante do livro, os acontecimentos acabaram um pouco atropelados e muitas informações foram jogadas, quando poderiam ter sido melhor exploradas. Mesmo com esses pontos negativos, a história de Carô me deixou com muita vontade de ler a sequência, saber o que acontece com ela e com os outros personagens depois das revelações dessa viagem aventureira e com tudo o que o final da história apresentou.

Foi uma leitura muito gostosa, há muito tempo não lia uma aventura e acho que essa história cumpriu bem o papel em se tratando desse gênero, mesclou elementos de outros gêneros que enriqueceram ainda mais a obra que, apesar dos pontos desfavoráveis, é uma ótima indicação e leitura aqueles que gostam de histórias desse estilo ou gostariam de navegar por gêneros não tão explorados.

Beijos e até o próximo post


6 comentários

  1. Tenho a impressão que já vi esse livro em algum lugar, mas nunca tinha lido a sinopse dele.
    Não tenho o costume de ler livros com essa temática, mas eu prometi a mim mesma que esse ano eu sairia da minha zona de conforto então talvez se eu encontrar esse livro eu dê uma oportunidade.

    Blog Covil Dourado | Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jennifer. Obrigada pela visita e pelo comentário. É um livro bem recente, mas está sendo bem comentado na blogosfera literária. Também fugiu da minha zona de conforto, mas também me propus isso para esse ano, por isso foi uma agradável surpresa, afinal não tinha lido nada com piratas até hoje.
      Beijos

      Excluir
  2. Oi, Adriana
    Eu acho que nunca tinha ouvido falar desse livro e mesmo sendo fantasia, eu já quero ler. Me lembrou um pouco Um encontro de sombras porque a protagonista se torna uma pirata e boa parte da narrativa se dá no mar, então fiquei interessada justamente por isso. Tomara que o começo lento não seja um problema para mim.
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mika. Eu até vi bastante comentários sobre ele no Instagram e me chamou a atenção por ser um gênero diferente daquele que estou acostumada a ler, especialmente a parte da aventura. Não conheço "Um Encontro de Sombras", mas vou pesquisar, porque gostei da ideia de piratas na história. Beijos

      Excluir
  3. ¡Hello!
    Beautiful photos. Great post.
    I'm your new follower. Follow for follow?
    Aprovecha La Vida Cada Día
    ¡Kiss!

    ResponderExcluir

Olá,

Sua opinião é importante para mim. O espaço abaixo serve para que possamos interagir, então espero que possa deixar seu comentário, crítica e/ou sugestão.
Se tiver blog, deixe o link para que eu possa retribuir sua visita assim que possível.
Obrigada!