| RESENHA | Para Sempre Minha (Abbi Glines)

27 de abril de 2018

Oi, como vocês estão?

A série "Rosemary Beach", composta por 15 livros, é a mais longa que eu tenho na minha lista de 'séries lidas ou em leitura'. Recentemente concluí o 9º livro, "Para Sempre Minha" que conta a história de Tripp e Bethy. Em livros anteriores nós conhecemos os personagens separadamente, mas é em "Para Sempre Minha" que Abbi Glines conta a história desses jovens que se conheceram na adolescência e viveram um romance arrebatador que durou por um breve período, mas que deixou marcas profundas nos dois.

Quer saber o que eu achei desse romance? Vem comigo conferir a resenha.





Para Sempre Minha
Série "Rosemary Beach"

Gênero: Romance | Young Adult

Páginas: 256
Ano: 2016

Editora: Arqueiro

Sinopse: Alguns dos jovens de Rosemary Beach consideram Tripp  Newark um herói. Há oito anos, ele abandonou uma vida meticulosamente planejada pelos pais para conquistar a independência. Pilotando sua Harley, Tripp desapareceu da cidade para viajar pelo mundo. E essa decisão o fez perder muito mais do que os milhões que herdaria. Bethy Lowry está vivendo o pior momento de sua vida. Há um ano e meio, Jace, seu namorado, morreu afogado ao salvá-la de uma forte correnteza. Sofrendo um período turbulento e ainda consumida pela culpa, ela vive sua rotina de maneira automática, com a certeza de que nunca mais voltará a amar. No entanto, sua vida está prestes a mudar. Quando tinha apenas 16 anos, Bethy teve um tórrido romance com Tripp, que é primo de Jace. Esse segredo continuaria enterrado para sempre se não fosse por um detalhe: Tripp Newark está de volta e determinado a reconquistá-la. Na série Perfeição, você conheceu o anjo da guarda de Della e sentiu a dor da perda de Bethy. Agora, Abbi Glines reúne esse surpreendente casal para mostrar que nunca é tarde demais para reviver uma paixão.





Cuidado! Essa resenha pode conter spoiler de algum livro anterior! 




Tripp e Bethy estão vivendo em luto pela perda de Jace, primo dele e noivo dela, mas o que os dois não esperam é que a proximidade vai trazer à tona sentimentos há muito tempo enterrados. Tripp está decidido a ter Bethy de volta em sua vida, mas ela não consegue sequer estar próxima dele sem ser tomada pela raiva e angústia. Os amigos dos dois começam a estranhar o comportamento e aos poucos vão descobrindo que eles tiveram um passado tórrido, mas sequer imaginam que Tripp e Bethy compartilham de um segredo que os transformou completamente.

Tripp é conquistador e quer Bethy de volta em sua vida, não importa o que precisará fazer para isso, está determinado e demonstra isso para ela. Ele é perdida e romanticamente apaixonado por ela e isso é muito fofo, mas o desespero misturado à carência que demonstra em alguns momentos realmente incomodam e muito!
Após a perda de Jace, Bethy está totalmente desprovida das suas características mais marcantes que se fizeram presentes nos livros anteriores: vigor e alegria de viver, tendo se tornado uma pessoa desanimada e apática. A única pessoa capaz de causar algum sentimento diferente em Bethy é Tripp, mas é raiva e frustração que ela sente sempre que vê ele.

O que me pareceu ao longo da leitura é que toda a história dos dois esteve envolta nessa camada de tristeza, angústia e sofrimento pela perda de Jace. Toda a vez que o sentimento dos dois aflorava aquela onda de dor pela perda vinha assombrar os dois, fazendo com que o livro tivesse essa aura pesada de tristeza. Os dois não estavam se permitindo viver. Confesso que comecei a me irritar com isso, mas entendi que o luto arrefecia os sentimentos mais tórridos entre eles.

A medida que a história vai se desenvolvendo fui gostando cada vez mais de Tripp, só fiquei incomodada quando a autora colocou um jogo de "gato e rato" manjado e sem criatividade: "hoje eu te quero, tu não me quer... amanhã tu me quer, eu não te quero". Achei que ela poderia ter buscado ser um pouco mais original aqui. 

E o segredo que os amigos de Bethy e Tripp nem imaginavam que os dois compartilhavam acabou se transformando numa verdadeira surpresa para os dois e isso foi algo que trouxe um pouco de fôlego para a história. 

Na minha opinião a autora conseguiu demonstrar o quanto a perda de alguém pode devastar as pessoas, mas que mesmo um coração dilacerado de diversas formas pode se recompor com ajuda e paciência. Além disso, demonstrou o quanto o primeiro amor tem uma força brutal sobre a gente.
Num contexto geral eu gostei da história. Poderia ter sido muito melhor, poderia sim. Acho que os dois personagens tinham muito potencial, pelo que pode ser visto nos livros anteriores.










Vocês conhecem a série, já leram ou pretendem ler?
Gostaram da resenha?

Beijos e até o próximo post!


















18 comentários

  1. Oi, Dri!
    Infelizmente essa mega série da Abbi Glines não me desperta interesse :( Se fosse em outra fase da vida, quem sabe...
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lu!

      Acho que se fosse para começar hoje, eu também pensaria duas vezes, não por não gostar dela, mas por não estar mais tanto nesse momento.
      Vou terminar ela mais por orgulho do que por interesse. Gostaria de não deixar séries inacabadas na minha estante (já tenho algumas que são impossíveis de terminar, na minha opinião).

      Beijos

      Excluir
  2. Oi, Adri!
    A Abbi Glines é uma autora que eu já desisti de ler. Já li 4 livros dela e não curti, dois eu abandonei. Não consegui gostar dos personagens, e o início das histórias sempre são bons, aí os personagens começam a se envolver e começa a ser sexo pra todo lado, ciúme e uns trem chato demais, meio que não funcionou comigo.
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mi,

      Te entendo!
      Acontece e muito, né... mas os três primeiros livros dessa série são legais, apesar de alguns detalhes chatos mesmo. Faz parte!
      Tem muita coisa boa no mercado pra lermos o que não funciona pra nós.

      Beijos

      Excluir
  3. Oi Adri, tudo bem? Eu adoro os livros da Abbi, mas esse emxeu mais comigo por conta do luto da Bethy e tb pq eu acho que ela amadurece bastante ao longo das histórias! <3 E tb fiquei no final das contas surpreendida!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mi,

      Realmente a parte do luto é intensa. Quando Jace morreu foi bem surpreendente, porque não imaginei que a autora iria incluir isso na série que parecia "perfeitinha demais". Acho que trouxe uma dose extra de realidade pra Rosemary Beach.

      Beijos

      Excluir
  4. Nice entry, I'm here for the first time and maybe I will stay longer!

    https://clicknorder.pk online shopping in pakistan

    ResponderExcluir
  5. Oi Adriana!
    Consegui ler todos da série e cada um deles me deixou com um gostinho de quero mais.
    Esse livro particularmente tem um dos personagens que mais gosto que é a Bethy.Ela merecia ter a sua história contada e ter o seu fina.A autora acertou muito bem nisso.
    Realmente poderia ter sido melhor,mas foi uma leitura bem gostosinha de fazer.Mas ainda prefiro os primeiros livros da série.
    Beijos!

    http://livreirocultural.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cláudio,

      Concordo contigo em preferir os primeiros livros da série. Realmente foram os que mais gostei.
      Estou um pouco desanimada com a série que parece "não sair do lugar", mas acho que isso acaba acontecendo por ser extensa.
      Bethy realmente amadureceu e muito.

      Beijos

      Excluir
  6. Bom, ainda não li nenhum da Abbi Glines e espero não me arrepender. Confesso que não me identifico tanto com os hot, mas já li O Acordo e Meu Romeu e gostei bastante. Fico meio amedrontada mesmo com coisas que você disse nesse livro, sobre o desenvolvimento que poderia ser maior e todas essas coisas, porque isso conta muito para mim em uma leitura. Valeu a sinceridade, até por confessar irritação em determinados momentos haha

    Beijos da Yana,
    Marshmallow Com Café

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Yana,

      Os primeiros livros da série (que conta a história de Rush e Blaire) são, com certeza, os melhores até agora.
      Espero que goste da leitura, apesar dos detalhes que fazem perder pontos, mas todos os livros têm, não é?

      Beijos

      Excluir
  7. Oi Adriana!
    Nossa, 15 livros!!! Acho que não tenho coragem de começar essa série.

    Beijos,
    Sora | Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sora!

      Pois ééé...
      Quando comecei não sabia que eram tantos, mas agora já estou quase no final e vou encarar os últimos! Hehehehe

      Beijos

      Excluir
  8. Acho que li uns 3 livros só dessa série e gostava bastante, mas desisti pelo tamanho dela mesmo ahahha às vezes dá vontade de voltar a ler

    Beijs
    Próxima Primavera

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Clarissa,

      Se esses primeiros são as histórias de Rush e Blaire, são os melhores!
      Os outros estão ficando um pouco cansados, apesar de serem interessantes também.

      Beijos

      Excluir
  9. Oi! Essa série tem livros que eu gosto bastante e outros medianos, mas é inegável que tem uma narrativa viciante. Este livro aqui foi um dos que serviu para eu entender melhor certa personagem. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cida,

      Concordo que a narrativa é viciante. Abbi Glines sabe como prender o leitor. Acredito que muito disso se deve ao fato de serem romances contemporâneos e é muito gostoso acompanhar o desenvolvimento dos personagens.

      Beijos

      Excluir

Olá,

Sua opinião é importante para mim. O espaço abaixo serve para que possamos interagir, então espero que possa deixar seu comentário, crítica e/ou sugestão.
Se tiver blog, deixe o link para que eu possa retribuir sua visita assim que possível.
Obrigada!